Tom Zé

por Magno Silveira em 14/03/2012

“Dudu, bidu, bidu, bi, mama água
dudu, bidu, bidu, papá, dá dá – a
Quando eu cheguei das estrelas
entrei na Terra
por uma caverna
chamada ‘nascer’
e eu era uma nave
uma ave
da ave-maria
e como uma fera
que berra
entrei na atmosfera”
Assim começa a viagem do LP Nave Maria (Tom Zé, 1984). No encarte do vinil, consta o seguinte crédito: “Capa e parto depois de vinte portas – Elifas Andreato”. Pois é, mais uma obra simplesmente genial do artista gráfico que se deixou levar pela jornada visionária de Tom Zé, criando uma capa totalmente metafórica: ao retirarmos o disco da capa fazemos um parto, nasce o som, espalha-se a poesia inquieta, espevitada, de Tom Zé.


href=”http://2.bp.blogspot.com/_LSKE1bfs2so/SmBRIe0eSJI/AAAAAAAAATo/vVwoJ9E0xKs/s1600-h/Nave+Maria+2.jpg” onblur=”try {parent.deselectBloggerImageGracefully();} catch(e) {}”>


Leave your comment

Required.

Required. Not published.

If you have one.